sábado, 28 de dezembro de 2013

Meu presente de Natal



 Meu presente de Natal

Esta manhãzinha (05h00min) eu ganhei meu presente de Natal e que gostaria de compartilhar com meus amigos.

Minha esposa acordou e me contou que havia sonhado com seus avós que faleceram este ano, então, em pensamento, pedi que Deus me proporcionasse sonhar com meu filho. Logo adormeci e estava caminhando numa estrada ao olhar para trás deparei que o Matheus caminhava ao meu encontro. Estava com uma camiseta azul e seu rosto irradiava luz, uma pele linda, parecia estar maquiado de tão lizinho estava seu rosto, lábios vermelhos, enfim, estava radiante de tanta beleza.

Por um longo tempo ficamos conversando de mãos dadas e, eu encantado e feliz pela presença dele comigo que às vezes, nem palavras eu tinha para conversar com ele, só pedia para que não fosse embora logo, pedia para que ficasse com a gente por mais tempo. Ele respondeu que ficaria.

Convidei-o para ver a sua mãe, de mãos dadas fomos ao encontro da minha esposa e assim, nós três ficamos por longo tempo conversando. Em nossas conversas perguntei ao meu filho: Matheus diz pra mim, como que é o céu? Então, ele me disse que se divide em várias fases, ou melhor, quando se morre passa por sete etapas. A primeira é a do conhecimento, ou seja, nesta etapa, se conhece toda a história da ação de Deus no mundo, ele não entrou em detalhes, mas citou pai Abraão. Aí, logo pulou para a 6 ª etapa que segundo as palavras dele é a fase do encantamento do encantamento do céu. Fiquei pensando: se estiver encantado já é algo inexplicável, imagina, então, encantamento do encantamento. E por fim, o ultimo estagio é algo também indescritível que nem eu sei como descrever. É um gozo tão intenso, um estado de gloria que eles são envolvidos como o céu e terra transformasse num só banho de luz.

Depois de ele descrever, veio em mim uma vontade de perguntar: como é Deus, mas, não me atrevi fazer esta pergunta, pois achei que seria uma ousadia de minha parte.

Pois bem, após todo este tempo juntos, eu, minha esposa e o Matheus eu acordei com os olhos molhados pela emoção que somente, consegui descrever este sonho lindo através da escrita, pois, só em querer falar me emociono e as palavras não saem.


Ataíde Lemos 

domingo, 15 de dezembro de 2013

Anjo


Anjo é aquele que sua presença é sentida dentro do coração na alegria e também quando a dor vem nos visitar. 

Ataíde Lemos 

sábado, 14 de dezembro de 2013

Quando vem a dor



Quando vem a dor

Quando vem a dor da perda
De um pedaço de mim que se foi
Logo vem no pensamento o Pai
Que mesmo diante o pedido do filho
“Se possível afasta este cálice”
E o pai permanece em silêncio
Um silêncio da dor
A dor do amor.

Quando vem a dor da perda
De um pedaço de mim que se foi
Logo vem no pensamento da mãe
Que depois de gerar e tanto amar
Viu seu filho ser crucificado
Viu seu sofrimento
E em teus braços acolheu
Aquele filho sem vida.

Então, vejo que minha dor
É grande, mas, não tanto quanto a do Pai
Que por amor doou seu filho
E a mãe que é também minha mãe
Que sofreu esta mesma dor
E vejo nestas cenas
Uma dor e amor que me consola.


Ataíde Lemos 

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Mais te sinto



Mais te sinto

Dois anos e meio sem você ou com você!
Sem tua presença e mais presente que nunca...
Em cada olhar, o teu olhar
Em cada pensamento, a tua lembrança
Assim é a vida sem você fisicamente,
Porém, você ainda mais dentro de mim.
Recuso-me a imaginar que você partiu
Recuso-me a aceitar que não está aqui
Porque mais te vivo, mais te sinto
Presente espiritualmente.


Ataíde Lemos 

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

A vida



A vida nos proporciona situações que nos obriga ressuscitarmos por varias vezes durante nossa existência. 

Ataíde Lemos 

domingo, 27 de outubro de 2013

Expressar sentimentos



Expressar sentimentos 

Através de poesias, frases eu escrevo sobre meu filho que partiu. Não são poemas românticos que produzem sensações de prazer, etc., mas sim textos nostálgicos. Ainda que bonitos ao ler, eles traduzem um sentimento de tristeza por expressarem sensações de dor, etc. Alguns em seus comentários acabam me questionando, inclusive, pedindo para deixar de escrever este tipo de literatura. Outros dizem que além de me fazer mal não deixa que meu filho descanse em paz, segundo suas espiritualidades.

Pois bem, gostaria de dizer que como poeta eu escrevo sentimentos, escrevo o que a inspiração traz a tona e deseja ser expresso. Perder um filho não é perder algo de estimação, não é perder um pai, uma mãe é algo que somente compreende quem também passou por isto ou, se coloca no lugar de quem passou. É um sentimento sem nome e que a partir do acontecimento, torna-se fazer parte do cotidiano da vida dos pais e cada um expressa este sentimento de uma forma distinta, uns nem gostam de tocar no assunto, porque choram, então, agem de maneira indiferente, não por que não sentem esta perda, mas, por sentirem muito preferem não tocarem no assunto. Outros ao contrário têm necessidade de falar de seus filhos que se foram, pois esta é uma maneira de não carregarem calados esta ausência, ou seja, falar deles lhe faz bem.

No meu caso particularmente, me faz bem escrever sobre ele, expressar em sentimento esta saudade, principalmente, naqueles momentos que elas se tornam mais intensas. Além de me fazer bem, recebo muitos comentários e e-mails de pais que também passaram por esta mesma situação e que através de meus poemas sentem-se melhores, ainda que sejam poemas tristes, pois é uma forma de lavarem suas dores  e saudades neles (textos), isto é, meus textos traduzem seus sentimentos. Talvez alguns pela emoção não percebem, mas meus poemas sobre meu filho, embora, tenha um clima de tristeza grande maioria deles terminam com versos de esperança, porque não são poemas desesperados, mas suaves e que na essência expressa uma crença, uma fé. Eu creio na vida eterna e, segundo minha crença (católica), meu filho está vivo e muito feliz. Está junto de Deus, Jesus e Maria, gozando tudo aquilo que desejamos para nós um dia. Portanto, minha saudade não o atinge a tal ponto de lhe tirar a paz, pelo contrário, onde ele se encontra a realidade é tão diferente e distante deste mundo que não temos como imaginar, segundo o entendimento humano, por mais conhecimento e sábio que seja.  

Enfim, sempre escreverei sobre ele, independente as críticas que venha a receber. Já recebi mensagem de pessoas dizendo que eu quero me promover usando meu filho e outros tipos de mensagens deste gênero. Cada um tem o direito de pensar o que deseja, nossos pensamentos são livres e até mesmo nossos julgamentos alheios, porém, este tipo de comentário não me faz parar de continuar a fazer o que me faz bem e sinto que de alguma maneira estou ajudando pessoas que também passaram e passam pela mesma situação. Portanto, aqueles que não concordam, basta apenas não ler. O importante, não é o que as pessoas pensam de nós, mas, o que nossa consciência nos fala através de nosso próprio olhar crítico sobre o que fazemos.  


Ataíde Lemos

sábado, 26 de outubro de 2013

Todo sábado é assim



Todo sábado é assim

Lembro-me de você todos os dias
mas, sábado é difícil e mais doído,
foi quando se foi parte da alegria
ficando no coração um espinho.

E quando chega a fatídica hora,
é como se voltasse na mente
as tuas ultimas horas, embora
tente disfarçar esta dor latente.

Voltam na lembrança as cenas
o meu semblante sinto mudar
quando imagens ficam passar.

Porém, percebo sua presença
é como você viesse me abraçar
e paz no meu coração vier dar.

Ataíde Lemos

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Não sei se é saudade ou falta



Eu não sei sinto saudades de você, porque não tiro-te de minha mente e te percebo nas coisas mais simples; falta também não sei se é, pois, és tão vivo em mim que você se faz presente todos os dias. É um sentimento sem explicação, talvez seja um vazio que se abriu no coração que transformou em carência de um pedaço de mim. 

Ataíde Lemos

domingo, 20 de outubro de 2013

O sonho que eu tive


O sonho que eu tive 

Hoje feliz acordei
Foi um sonho tão lindo
Vi você até mim vindo
De alegria eu chorei.

Você me abraçou
Um beijo me deu
E rindo me falou
Como cresci percebeu?

Estava muito bonito
E muito feliz
Como nunca havia te visto

Disse-te então:
Te amo demais meu menino
É eterno em meu coração.
Ataíde Lemos

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

No Dia da Criança meu presente



No Dia da Criança meu presente

No dia da criança
Você veio me visitar
No sonho me trouxe alegria
Fez-me sorrir e não chorar.

Vivi um pedaço da nossa história
Vi seu lindo sorriso
Que era marcante
Quando estavas comigo.

Foram belos momentos
Que pudemos partilhar
Que me deixou feliz
Mesmo tento que acordar
Porque a emoção permaneceu
Viva em meu Ser
Pela alegria e o prazer
Que Deus me deu
Em meu sonho te trazer.


Ataíde Lemos 

sábado, 28 de setembro de 2013

Felicidade a contramão




Felicidade a contramão 


F az tanto tempo que você se foi

E parece que foi ontem.

L evou minha alegria e deixou saudades;

I nesqueciveis são nossas histórias 

C ada uma delas em mim mora


I ncitando o coração 


D e lembranças que vem toda hora 


A lgumas me fazendo sorrir 


D as palhaçadas que fazíamos 


E outras que me faz chorar.



Ataíde Lemos

Meu pequeno anjo I


Meu pequeno anjo I

Anjo que alegra meus dias
Tua presença tem uma docilidade
Difícil de descrever.

Anjo que quando estou triste
Teu carinho me abraça
E logo já estou a sorrir.

Anjo meu raio de luz
Que ilumina meus caminhos
E me faz caminhar com segurança.

Anjo que está sempre presente
Seja durante o dia ou a noite
Protegendo-me com teu carinho.

Anjo meu pequeno anjo
Que carrego no coração
Na mente e em todo meu Ser.
Ataíde Lemos

O nascimento de um filho

          
          O nascimento de um filho é a maior felicidade proporcionada aos pais e sua partida a maior dor que somente é superada pelo amor do mesmo. 
Ataíde Lemos

Soneto a quatro mãos


Soneto a quatro mãos 

Você é, será sempre minha inspiração 
em qualquer tempo, em qualquer verão
seja na minha tristeza ou na alegria
sempre trará algo novo em meu dia.

Meu coração ao teu está entrelaçado
pensamentos e sentimentos abraçados
basta pensar em ti e algo vem à mente
juntos construímos um poema diferente.

É o encontro de almas que se amam
e permanecem unidas para sempre
se comunicando frequentemente.

Inspiração escritas a quatro mãos
atreladas em apenas um coração
em versos escrevem suas emoções. 
Ataíde Lemos

Meu pequeno anjo

Meu pequeno anjo

Meu pequeno anjo
Presente dado por Deus
Durante 16 anos aqui esteve
Fazendo sorrir os teus, 

Trazendo alegria a todos
Que de ti se aproximou.
Acolheu e agasalhou
Tantos colegas
Que estiveram ao teu lado
Nos momentos de frio na alma.

Meu pequeno anjo
Tua presença é constante
Na minha alegria
E quando a tristeza vem
Faz-se presente também
Trazendo paz na alma
Que logo se acalma
Com acalento de teu amor.
Ataíde Lemos

Canto triste


Canto triste

Meus sonhos o tempo levou
E apenas saudade deixou
Em formas de poesias 
Escrevo esta nostalgia.
Transcrevendo a solidão
Que habita o coração;
Tornou-se outono a estação
Quando se foi o meu verão
Tua falta tirou pedaço de mim
Agora, meu canto é triste assim.
Ataíde Lemos

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Viveu intensamente II



Viveu intensamente II


Da saudade restou a alegria
Que acalenta meu coração
Viveu intensamente cada dia
De seu dia
Não deixou para o amanhã.
Fez da vida uma linda canção
Curtindo cada momento
Como primeiro e único dia;
Sorriu, brincou, festejou
Amou, chorou
E quando foi preciso
Seu ombro afagou
Quem precisou do seu calor.
Partiu e nada levou,
Mas tudo deixou
Que se tornou presente
Mesmo ausente.

Ataíde Lemos

sábado, 24 de agosto de 2013

Tua alegria me cura



     Quando bate uma saudade enorme de você, fecho meus olhos viajo no tempo e te vejo sorrindo, feliz então, a tua alegria contagia meu coração. 

Ataíde Lemos 
Escritor & Poeta 

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Soneto a quatro mãos



Soneto a quatro mãos 

Você é será sempre minha inspiração 
em qualquer tempo, em qualquer verão
seja na minha tristeza ou na alegria
sempre trará algo novo em meu dia.

Meu coração ao teu está entrelaçado
pensamentos e sentimentos abraçados
basta pensar em ti e algo vem à mente
juntos construímos um poema diferente.

É o encontro de almas que se amam
e permanecem unidas para sempre
se comunicando frequentemente.

Inspiração escritas a quatro mãos
atreladas em apenas um coração
em versos escrevem suas emoções. 


Ataíde Lemos 

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

O que dizer nestas horas!?



O que dizer nestas horas!?

O que dizer aos pais que perdem filhos quando você já passou pela mesma experiência de dor? Alias não passou, mas sim passa, pois a perda de um filho é uma dor e saudade eterna. Evidentemente, com o tempo a dor se diferencia daquela do ato da perda, mas, torna-se um espinho que fica na alma e que volta e meia dá suas agulhadas nos provocando dores.

Certamente, não encontramos palavras a não ser um olhar profundo, um abraço apertado, assim como Deus nestes momentos faz conosco.  No seu silêncio profundo, Ele nos ouve, sente nossa dor e nada responde a não ser nos acolher com seu amor de pai.

Tudo que pensarmos em falar será pouco diante tamanha dor, talvez este também deva ter sido o silencio daquele apostolo (João) que estava junto com Maria aos pés da cruz, apenas abraçando-a, enquanto, ela sofria ao ver seu filho agonizando e morto na cruz.

O silêncio são as melhores palavras que podemos dizer nestas tristes horas. O abraço é o mais sincero sentimentos que possamos expressar e compartilhar com um pai, com uma mãe num momento de extrema dor nestas horas tão dolorosa.

Neste  momento de dor os pais estão perdidos, perplexos sem entender, sem querer aceitar tamanho acontecimento. Com um coração pequenino, diante uma tragédia que lhe abala suas estruturas físicas, emocionais e espirituais. Talvez seus olhos ceguem para todos ali que estão presentes e em sua mente apenas o olhar no filho.

A perda é um sentimento traumático, principalmente, quando é de um ente que faz parte da nossa existência. Quando é de alguém que está intrinsecamente dentro de nós, ainda que creiamos na vida após a morte, a separação física não deixa de ser um sentimento de perda.

Às vezes, muitos na ânsia de nos confortar, consolar nos trazem palavras de esperança de fé, usando frases bíblicas. Certamente, estas frases ditas por Jesus nos confortam, no entanto, é preciso dizer que mesmo Jesus sendo a ressurreição e a vida ao ver seu grande amigo morto e sentindo a dor de suas irmãs chorou. Não foi um choro falso, mas sim, um sentimento de compaixão por aquelas mulheres que estavam ali completamente perdidas, desconsoladas e tristes pela morte do irmão.

Enfim, nossa atitude diante uma mãe, um pai nestas horas tão dolorosas nossa atitude deve ser de compaixão, de sentir em nós esta mesma dor e através de gestos e poucas palavras demostrar toda nossa solidariedade, todo nosso sentimento de amor para com estes e assim, a nossa ternura e calor agasalhem estes corações dilacerados.   

Ataíde Lemos

Escritor & Poeta 

O nascimento de um filho

          

         
          O nascimento de um filho é a maior felicidade proporcionada aos pais e sua partida a maior dor que somente é superada pelo amor do mesmo. 

Ataíde Lemos 

terça-feira, 20 de agosto de 2013

O que a ciência não explica sobre o outro lado da vida




O que a ciência não explica sobre o outro lado da vida


Interessante, a ciência e muitos cientistas ateus procuram sempre encontrar uma resposta para os fenômenos sobrenaturais, ou seja, fenômenos que não são conhecidos de maneira absoluta, mas sim, apenas explanados de formas teóricas.

Um destes fenômenos são as experiências espirituais que muitos relatam após terem passado por estados quase morte por meio de uma parada cardíaca e depois voltados. O interessante é que estes relatos são sempre idênticos, apenas com detalhes aqui acolá diferentes.

Porém, gostaria de ater a outro fenômeno interessante que comumente ocorrem antes das pessoas morrerem.  É muito comum, pessoas antes de falecerem seja por uma doença ou mesmo por um acidente ou qualquer outro tipo que o leve a óbito, relatar sonhos com pessoas que já morreram. Isto é comum. Acredito que todos nós já presenciamos histórias contadas por falecidos que dias que antecederam suas mortes sonharam com pais, filhos, irmãos que já se foram como que tais sonhos fossem chamados deles ou uma maneira de acolhida por estes entes falecidos. Estes sonhos, estas visões acabam de certa forma, aliviando o sofrimento e muitos falecem em paz.

Além destes fenômenos ocorridos com os que morreram muitas vezes, nós sempre de alguma forma somos avisados quando acontecerá o falecimento de uma pessoa próxima de nós. Quantas e quantas vezes, ouvimos relatos de pessoas que dizem ter sonhado algo triste e de repente, no outro dia, recebeu a noticia do falecimento de uma pessoa próxima? Acredito que já aconteceu conosco, pelo menos, comigo já acorreu por varias vezes.

Também, um fenômeno que ocorre comumente é quando está para acontecer algo trágico com alguém do nosso meio, muitas vezes, nossos corpos e emocional reagem de forma a nos preparar para algo sem mesmo entendermos. Este tipo de fenômenos é comum ouvirmos. Parece que se antever que algo ruim vai ocorrer.  

No dia que meu filho faleceu eu acordei mal, lembro-me que disse a minha esposa, não estou bem. Estou sentindo uma dor estranha no peito, uma profunda tristeza interior, passou-se duas horas de ter dito para ela, recebi a noticia que meu filho havia sofrido um acidente e estava morto.

Por que falar sobre isto? Porque há um abismo enorme entre o nosso conhecimento e os fenômenos sobrenaturais. A ciência jamais explicará o sobrenatural, porque ela trabalha com o palpável. Ela não explica o espiritual. Não explica o que está além do seu conhecimento. Ela não tem material psíquico substancial para explicar o que está fora do alcance dela. No entanto, todos já experimentaram – ou a imensa maioria – situações que fogem a lógica humana, mas que facilmente é plausível pela fé e isto vem reforçar uma vida além desta a qual não temos nenhum conhecimento a não ser os que as diversas crenças retratam e uma delas a que eu creio é que Jesus nos passou, inclusive, estando conosco por 40 dias após sua morte.

Ataíde Lemos

Escritor & poeta 

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Juntinho de mim



Juntinho de mim

O tempo passa vagarosamente
E um filme me vem
Vejo seu rosto tão lindo
Seu sorriso no olhar
Não vai, está no mesmo lugar.

Tudo me faz ter você
Tudo te traz à tona
E me vejo sorrindo sozinho
Numa viagem que me faz sonhar
Com nossas histórias recordar.

Não sei se é saudade
Que sinto de você
Pois em tudo que vejo
Sempre está comigo
E sua alegria também.
É tão bom sentir assim
Ver-te com os olhos do coração
Tendo juntinho de mim.

Ataíde Lemos 

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Quando sonho com você



Quando sonho com você é como se sentisse vindo me visitar e meu dia se transforma, nem a saudade me entristece. 

Ataíde Lemos 

terça-feira, 13 de agosto de 2013

Como é viver com a perda de um filho



Como é viver com a perda de um filho

Meu filho partiu deste mundo há dois anos e 43 dias. Nenhuns destes dias se passaram sem que pensasse nele, seja vendo alguma cena, ouvindo alguma musica, vendo ele em alguém, enfim, ele sempre está presente de uma forma ou de outra. Muitas vezes, bate uma saudade intensa, no entanto, esta sua presença no pensamento, nos sentimentos não me faz desanimar de seguir em frente. Não me deixa parar na beira do caminho, não me faz parar de viver este presente me dado que é a vida, pelo contrário, é uma lembrança, ainda que nostálgica, que seja dolorida me faz sentir bem, pois, somente, lembramo-nos de pessoas as quais moram dentro de nós e que não queremos de forma alguma as esquecer. Somente vivem em nossos sentimentos aqueles que fazem parte de nossa vida, de nossa história e como tal, elas sempre surgem no pensamento e de alguma maneira nos envolve em emoções.

Não posso falar pelos outros, mas, acredito que estas palavras devem expressar os mesmos sentimentos daqueles que perderam também filhos. Às vezes, até me sinto egoísta, pois meus pais já se foram e a saudade deles, embora, seja grande, mas é incomparável a do meu filho, talvez, seja porque somos emocionalmente, espiritualmente  preparados para que eles se vão antes de nós.

O que vejo é que com o passar do tempo, ainda que, como colocado, todos os dias meu filho está em meu pensamento e muitas vezes durante o dia, o coração vai sendo acalentado e esta falta torna-se menos dolorida, talvez seja porque acostumamos com a dor, com a ausência e assim, aprendemos a conviver com ela de maneira menos traumática ou também, pela fé de acreditar na eternidade sentimos a presença de Deus que vem transformar esta dor em esperança.  


Ataíde Lemos
Escritor & Poeta  

Meu pequeno anjo



Meu pequeno anjo

Meu pequeno anjo
Meu amigo e protetor
Sempre ao meu lado
Com seu carinho e calor
Aquecendo meu coração
Faz-me sentir prazer
Para seguir em frente
E fazer de cada dia
Um sentido para viver.

Meu pequeno anjo
Sua luz me ilumina
E o seu perfume
Vem dissipar a dor
Da saudade que grita
Pela sua ausência
Que é impreenchível.

Mesmo que meus olhos
Não conseguem te ver
Você está aqui ao lado
E podes me olhar
Até sinto me abraçar
Quando me vês triste.

Ataíde Lemos 


quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Encontramo-nos em sonhos



Encontramo-nos em sonhos 

Viajo até as estrelas para te encontrar,
busco nos meus sonhos ver teu olhar,
compartilhar com você bons momentos
tendo-te presente não só nos sentimentos.

Não somente nas lembranças de um passado
que me faz feliz, mas deixa o coração apertado
por não ouvir o tom da tua voz e poder te abraçar.
Vivemos uma realidade, mesmo que vou acordar.

No dia seguinte, novamente o teu silêncio ouvirei
porque você se foi e quando voltará outra vez não sei,
mas, pelo menos, estivemos juntos por um momento.

Desta forma, matamos a saudade que mora em nós
pela separação que a vida nos proporcionou,
porém, este nosso amor a morte nos separou.

Ataíde Lemos

segunda-feira, 22 de julho de 2013

Na presença de Jesus



Na presença de Jesus


Filho, quando me lembro de você
E isto é sempre
Sinto uma grande dor pela saudade
Que envolve meu ser,
Mas, logo ela passa
Quando sua paz me abraça
Quando lhe vejo nos braços da mãe
E sinto a sua felicidade,
Uma felicidade incomparável
Radiante envolvido numa luz
Junto à presença de Jesus.

Ataíde Lemos

domingo, 14 de julho de 2013

Sentimento permanente



Sentimento permanente 

É difícil descrever a saudade
Ela, a cada momento 
Vem numa intensidade 
Em nossos sentimentos.

Têm instantes que ela vem
Branda e até com docilidade
Porém, há outros também
Surge com uma voracidade

Que nos derruba ao chão
Tirando-nos toda a alegria
Espinho que fere o coração.

Porém, ainda assim, a saudade
É bom sentir. É sinal presente
De um sentimento permanente.

Ataíde Lemos

terça-feira, 2 de julho de 2013

Dois anos sem você



Dois anos sem você

É tão difícil falar de saudade
Pois, ela traz de volta lindos momentos
E com ele uma nostalgia, 
Um aperto no coração
Porque revivemos instantes lindos
E ao mesmo tempo doloridos
Mas, falar é aliviar a alma.

Hoje, há exatamente dois anos você partia
E levava consigo um pedaço de mim
abrindo uma ferida que jamais irá fechar
Porém, vou plantar flores
Para sentir teu perfume sempre
Que a saudade apertar.

Passe os anos e você sempre estará
Vivo dentro do meu coração
E naqueles que aprendeu a te amar.


Ataíde Lemos 

segunda-feira, 1 de julho de 2013

Como viver sem esperança?



Como viver sem esperança? Sem acreditar que um dia algo de bom vai acontecer? A esperança é necessária por vários motivos: Para plantar hoje na certeza que vai colher amanhã; para não perder a alegria quando o presente está difícil; para não deixar morrer um sonho; para que a vida não perca o sentido quando parte alguém que você ama acreditando que amanhã encontrará novamente numa outra vida. 

Ataíde Lemos
Escritor & Poeta 

Matheus †02/07/2011



Matheus 

†02/07/2011

Dois anos sem você
Dois anos de silencio da tua voz
Dois anos sem o teu sorriso
Sem tuas brincadeiras
Sem saber como estaria hoje
Dois anos de intensa saudade
De um fruto que se foi
De um presente que de repente
Transformou em saudade

Os dias passam, os anos se vão
E cada dia meu coração mais te sente
E faço da esperança um sentido
Um remédio para viver
Faço das lembranças um motivo
Para procurar ser feliz sem você
Faço da alegria que tinhas, que eras
Para conter minhas lágrimas
Pelo vazio que se abriu
Mas, saiba meu menino
Que mesmo com esta ausência
Na minha alma
Em meus sentimentos
Estás sempre presente.

Ataíde Lemos

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Saudade XI



Saudade XI

A cada dia que se vai
Em cada musica que ouço
Nas cenas que vejo
Através de tantos olhares
Meu coração sente saudade
Meus sentimentos saltam aos olhos
Em lágrimas que não se contém
Pela falta que você faz
Pelo sorriso que de ti se apagou
As palavras que emudeceram
Pelo silêncio que ficou
Com sua partida.

Ataíde Lemos 

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Quando vi o mundo cair



Quando vi o mundo cair 

Quando vi meu mundo cair
Minha vida passou ter novo sentido
Descobri que a vida é um seguir
E todo o presente deve ser vivido.

Passei a amar cada momento
E extrair o mel de cada estação
Deixei de cultivar maus sentimentos
E fazer de cada instante um belo verão.

Passei a valorizar um sorriso, um abraço

Olhar o outro com um olhar diferente
E não deixar a solidão ocupar meu espaço.

Passei a fazer de cada história
Intensidade para quando ela se for
Motivos para sentir saudades.

Ataíde Lemos 

Escritor & Poeta


sexta-feira, 21 de junho de 2013

Veio trazer paz



Veio trazer paz

Caminhando no campo na primavera
Ao longe te vi a minha espera
Meus olhos brilharam de alegria
Foi intensa a felicidade que sentia.

Em teu rosto havia um brilho especial
Uma luz, algo indescritível, descomunal
Ao aproximar-me desacertou o coração
Por tamanho ser a minha emoção.

De ti um perfume envolveu meu ser
Minh ’alma transbordou de felicidade
A tua presença me fez reviver.

Porém, o dia amanheceu e você se foi
Mas, em mim a tua fragrância ficou
Junto a ela uma paz em mim retornou.


Ataíde Lemos 

domingo, 9 de junho de 2013

Meu bebe



Meu bebe 

O tempo passou
Tantas coisas aconteceram
Mas, o tempo não levou
Histórias que aconteceram.

Hoje você é um álbum de recordações
Fotos vídeos que levo
Guardados e vivos no coração
E uma saudade imenso que carrego.

Uma destas imagens que trago
Em mim pra sempre guardado
É este rosto lindo me olhando.

Um presente que vi nascer
Que os meus carinhos o acariciou
E que aos 16 anos para Deus voltou.

Ataíde Lemos

Um intercessor



Acredito na vida após a morte independente a religião, pois, já tive vários depoimentos de amigos que também já receberam graças através da intercessão do Matheus, principalmente, graças em relação a crianças. Pessoas que através dele encontram paz, outros são atendidos em seus pedidos...

Sem aqui querer exaltar o Matheus por ser o seu pai, mas ele era um menino comum, ou seja, brincalhão, arteiro, etc. No entanto, possuía um coração, maior que o seu. Era um menino conselheiro, não gostava de ver ninguém triste. Muitas vezes, presenciei partilhando coisas dele para com outros, até se privando para dar ao outro, tanto que possuía um número grande de amigo, pois, eram atraídos a ele pela sua forma alegre, confidente e amigo de ser. Ele era um menino de fé, sempre ia à igreja com a gente, no momento da Eucaristia era o que ele mais gostava na missa. Às vezes, cochilava durante a missa, mas quando chegava a hora da comunhão era o primeiro a entrar na fila e quando ficávamos bravos com ele por cochilar e ir comungar ele dizia tudo que o padre havia falado. Enfim, ele não cochilava ele repousava.

Ele se foi deste mundo, mas está muito presente e tenho certeza que é um anjo de muitos e que está atento a todos através da intercessão dele para com Deus.

Ataíde Lemos  

domingo, 26 de maio de 2013

Como ser feliz

          


          No decorrer da vida passamos por muitos traumas como doenças, perdas irreparáveis e traumáticas e varias outras situações que nos tiram o prazer de viver. Como ser feliz mesmo assim? Sim, podemos ser felizes apesar das dores quando não permitimos que os momentos ruins sufoquem os bons; quando acreditamos que temos uma missão para cumprir; quando olhamos ao nosso lado e vemos pessoas que passaram e passam pelas mesmas situações ou piores e são felizes. Enfim, quando procuramos fazer de nosso presente um novo recomeço, procurando ver à beleza que é a vida. Viver é aprender degustar o fel quando necessário, mas, sobretudo, saborear o prazer do mel. 

Ataíde Lemos
Escritor & Poeta

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Eu nunca vou te esquecer



Eu nunca vou te esquecer

Você veio encantar minha vida
Veio transformar meu existir
Foram tantos momentos inesquecíveis
Foram dezesseis anos de pura alegria.

Peguei-te no colo, fiz você dormir
Rolamos pelo chão muitas vezes
Brincando em sorrisos largos
Beijei-te varias vezes, dizendo eu te amo.

Olhava você dormindo e sorria sozinho
Admirando sua beleza, um menino lindo
Sua felicidade era também a minha
Pedi muito aos anjos que te guardasse.

Sofria muito quando ficava doente
Sua dor doía mais em mim que em você
Ficava sem dormir quando febril se encontrava
A tua vida parecia ser também a minha.

Ah! Quanto tenho para falar de você
Quantos momentos lindos para reviver
Agora são apenas lembranças e saudades
De muitas histórias que o tempo encerrou

Mas, mesmo assim, apesar da saudade
Ainda sinto-te bem perto de mim
A sua presença espiritual me conforta
E me faz escrever, falando de você.

Ataíde Lemos