terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Alegrem-se estou presente


Alegrem-se estou presente

É Natal, uma cadeira está vazia
Sei que a alegria de vocês não está completa
Falta um sorriso, um tom de voz diferente
Faltam minhas brincadeiras,
Enfim, falta minha presença física
Sei que nestes dias
São de muitas lembranças
E que uma tristeza invade
Pela dor da saudade,
Pela falta que faço.
Gostaria de pedir uma coisa:
Faça este Natal ser diferente
Alegrem-se, não fiquem assim
Afinal, minha partida, não foi
E jamais é o fim,
Eu estou com vocês
E vocês estão em mim,
Quero minha alegria em vocês
Hoje celebra o nascimento
Daquele que trouxe vida ao mundo
Que veio ser Luz,
Eu estou nesta Luz
Feliz, do lado de cá.
Hoje, estou mais perto de vocês
Minha presença é constante
Intercedo ao nosso Pai
Por vocês a todo instante.
Celebrem com muita alegria
Este Natal e não me sintam ausente
Porque neste momento estou presente.


Ataíde Lemos
Escritor & Poeta

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

É doce te sentir


É doce te sentir 

O tempo pode de mim tudo levar
Pode levar vários e bons momentos
Mas, jamais apagará este sentimento
Pois, onde estou ele vai sempre estar.

É prazeroso e maravilhoso de sentir
Embora, seja nostálgico e de saudade
Traz-me paz, faz bem, uma docilidade
E uma nova emoção te lembrar faz surgir.

É tão bom falar de você, de te lembrar
Viver cada momento que esteve aqui
Que tanto amor e alegria pôde nos dar.

A vida pode dar muitas reviravoltas
Provocar alegrias e as tristezas trazer;
O que eterniza não há como esquecer.

Ataíde Lemos


Escritor&Poeta

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Um trauma sem cura


Um trauma sem cura 

É tão complicado falar do sentimento de perda de um filho. Todos os dias a lembrança dele vem a mente, seja em algum olhar, num objeto, numa imagem qualquer; é como se ele estivesse de maneira sensível na mente que a qualquer sinal acendesse uma luz e ele surgisse. Enfim, a perda de um filho é um trauma que não tem cura, mas que aprendemos a conviver com ele se transformando em rotina na nossa vida.

Ataíde Lemos
Escritor&Poeta

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Falar de você



Falar de você 

Meu filho:
Falar de você;
Alivia-minh’alma,
Acalma-me,
Dá-me paz,
Faz-me sentir-te
Presente fisicamente
Mesmo ausente.
Pensar em você;
Anima-me a viver
O teu sorriso,
A tua alegria,
Teu jeito de ser,
Faz-me caminhar,
Lutar, sonhar,
Acreditar na vida.
Evidentemente,
A saudade há
E sempre haverá
De estar presente,
Pois, você foi e é
Meu precioso presente,
Que embora, agora
Distante
Não deixou de ser
Até se tornou
Ainda mais perto
De mim que antes
Pois, todo o instante
Tenho-te
Em meus pensamentos.

Ataíde Lemos


Ataíde Lemos 

domingo, 9 de dezembro de 2012

Minha luz



Minha luz
 
Veras uma estrela brilhar 
Em tua direção,
Ali estará meu olhar
Dentro do teu coração.
 
Deixe minha luz
Entrar e te iluminar
Tirando-lhes as trevas 
Que não lhes deixa enxergar.
 
Não quero te ver triste
Você nasceu para brilhar
Então, o meu brilho
Novamente vida irá lhe dar.
 
Não há distancia 
Que separa os corações;
Quando estão entrelaçados 
Mudam as estações.
 
A luz que vem de mim
Aquecerá tua alma,
Abrindo o teu horizonte
A tempestade ela acalma.
 
Ataíde Lemos 
Ataíde Lemos

Aprendi a amar a distancia



Aprendi a amar a distancia

Aprendi a amar a distancia
Quando perdi
Meu tesouro mais precioso;
Quando minha pérola pequena
Foi morar distante;
Aprendi a amar a distancia
Quando vi que meus amores
Não estavam mais por perto.
Enfim, aprendi a amar a distancia
Quando a circunstancia
Mostrou-me que
Meu espaço físico é limitado
Mas, que o amor não tem limite
De tempo e de espaço.
Ataíde Lemos

Ritual



Ritual 
Todo domingo
Cumpro um ritual,
Vou te visitar
Vou deixar meu carinho
E flores depositar
Faço minha oração
Olho seu retrato
Leio e releio a lápide, 
Beijo sua foto,
E fico ali te olhando.
Depois de um tempo longo,
Ou às vezes, pequeno
Vou embora em paz.
Já que fisicamente em casa
Não pode estar presente
Faço-me então a visita
Onde teus restos mortais
Encontram-se. 
Estas visitas me faz
Sentir-te mais perto de mim.
Olhos sua foto sorrindo
E as tuas palavras 
Escritas por mim:
“Quero que minha alegria 
Não seja interrompida 
Com a minha partida,
Mas, que permaneça entre nós.”
Ataíde Lemos

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Saudade que não passa



Saudade que não passa


Olhei seu retrato, tocou fundo
Olhei bem dentro de teus olhos
Parecia querer algo me dizer.
Meus olhos encheram de água
De uma saudade que não passa
E nem quero que passe jamais
Mas, uma indagação não passa:
Por que, por que, por que?

Meus pensamentos estão em você
Em tudo que vejo, todo o tempo.
Está tão dentro e presente em mim
Que de um momento para o outro
Vejo-te em alguma cena, num olhar
Numa estatura física, e fico admirando
Aquele teu jeito. Presto tanta atenção
Que muitas vezes, até chama atenção.

Às vezes, meus olhos se cegam
Entre as lágrimas que eles cobrem
É uma dor que não tem explicação
Dói sem dor, é incolor, aperta o coração.
Mas, fazer o que?
É preciso com ela conviver
E procurar na esperança sobreviver.

Ataíde Lemos 

sábado, 17 de novembro de 2012

Além do horizonte




Além do horizonte 

Sei que além do horizonte
Além do meu olhar
Num jardim florido
Entre rosas, orquídeas
Num imenso jardim
Num campo extenso
Perto de um lago imenso,
Entre tantos,
Estás sorrindo, brincando
Como sempre foi aqui.

Sei que além do horizonte
Teus olhos brilham
De felicidade
Numa alegria sem fim
Está na plenitude do amor
Junto a tantos
Que te antecederam;
Anjinhos, adolescentes
E vários outros
Que fazem parte
Da família agora.


Ataíde Lemos 

Quanto tempo faz



Quanto tempo faz

Quanto tempo faz
Que não te vejo mais
Mas, está do mesmo jeito
Em estado perfeito.
Tudo que é teu
Guardo no peito meu
O tempo se vai
Porém, você não sai.
Não te deixo partir
E doce te sentir
E ter-te presente
Eternamente
No meu coração
Em minha emoção.

Ataíde Lemos

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Relato



Um dia Deus me falou ao coração “Dei-te um dom que é escrever, por isto te peço, publica um livro para mim” eu respondi; Senhor é o que mais quero, mas é tão difícil, pois as pessoas não compram livros, a gente gasta com publicações e eles ficam guardados. Mas, aquele pedido de Deus foi intenso em meu coração que após uma semana, o material já estava pronto para enviar a editora. Faltava-me o titulo: então; um poema contido nos manuscritos, chamou-me atenção; “O Abraço do Pai” e assim, dei este titulo ao livro. Na escolha da capa pensei num provérbio bíblico e encontrei um que me chamou também muito atenção: cap. 12; 25 “A angustia deprime o coração, mas a boa palavra reanima” e disse para mim: este será o provérbio que colocarei na capa.

O livro ja estava na editora faltando apenas a ilustração da capa. De repente, Deus leva meu filho. A angustia deprimiu meu coração e disse para mim: Não vou publicar mais o livro, Deus foi injusto comigo, dediquei-me a escrever uma obra para Ele e me tira meu mais precioso tesouro. Deus é ruim, isto é, se ele existe de fato.

Deus fez silêncio, deixou que aquela imensa dor e revolta passasse e aos poucos foi falando no coração. “filho, continua o livro, coloque a foto do Matheus e um poema dedicado para ele logo no inicio, assim, você fará uma homenagem para nosso filho e também ele será um grande intercessor para os que lerem o livro”. E assim eu fiz.

Hoje quando leio “O Abraço do Pai”, percebo que em cada poema, em cada reflexão está contida uma palavra de esperança, de cura, de libertação. Ou seja, Deus, colocou as palavras certas para aqueles que precisam do seu abraço, do seu carinho, do seu aconchego.

Este comentário acima, não é um apelo para vender o livro, mas um relato que gostaria de deixar, pois, Deus escreve certo por linhas tortas. Os pensamentos de Deus não sãos nossos e mil anos para nós é como um dia para Ele. Ainda que morramos sem um dia entender, alias, Deus, não é para ser entendido, mas sim, amado sobre todas as coisas.

Ataíde Lemos

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Paradoxal

         

        Pode parecer paradoxal, mas quando me deparo com adolescentes sorrindo, alegres sinto uma saudade intensa de você que chega a doer, porém, ao ver adolescentes bêbados, drogados a sua partida me traz uma paz interior. 

Ataíde Lemos 

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Quando você partiu



Quando você partiu


Quando você partiu
Pensei que não viveria mais
Mas, meu coração decidiu
Que não se entregaria jamais.

Muito intensa foi a dor
Que parecia não ter fim
Pois, foi um grande amor
De repente arrancado de mim.

Porém, com o passar do tempo
Meu coração foi se acalmando
Que  em determinado momento
A dor da saudade se abrandando.

Hoje te sinto presente
E é você que me fez aprender
Que quem mora dentro da gente
Não morre, e ainda, nos ensina viver.
Ataíde Lemos

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Entregar jamais



Entregar jamais


A saudade faz parte,
Pois, é um sentimento
Que existe no coração de quem ama;
Ela é a lembrança de um tempo,
Ou de momentos
Ou de pessoas que conosco
Escreveram uma história
Que mantém sempre
Vivo na memória.

Ficar triste faz parte,
Não dá para reviver
Um tempo, ou momentos
Ou ainda, pessoas
Que nos fizeram felizes
E não sentir uma tristeza
Por não poder mais reviver,
Ou mesmo, tê-los ao nosso lado.

Porém, entregar-se jamais,
Porque a vida segue
Escrevendo novas páginas,
E mesmo com saudades
De um tempo,
De momentos
Ou de pessoas;
Eles estão gravados em nós,
Fazem parte de nossa história
E tudo que se vive de bom
Deve estar num belo álbum
De recordações,
Além do que, as pessoas não se vão
Apenas estão do outro lado
Do caminho.

Ataíde Lemos 

Pode o tempo passar




Pode o tempo passar


Você foi, mas não me deixou
Tua vida está selada em mim
Você foi, mas aqui ficou
Teu perfume e toda história, enfim.

O meu coração está sempre te sentir
Em minhas entranhas tem você aqui
Não se morre, mesmo que tenha que ir
Porque a tua vida não saiu daqui.

Pode o tempo e a vida adiante seguir
A lágrima secar de tanto cair
Mas, ter-te-ei sempre pertinho de mim.

A saudade, um dia, não vai me entristecer
Vou sempre me alegrar ao lembrar de você
Porque não se perde o que está dentro do Ser.
Ataíde Lemos

domingo, 23 de setembro de 2012

Saudade X



Saudade X

(Ataíde Lemos)

Hoje me sinto tão só
E isto me trouxe você;
Bateu uma nostalgia
De nossos momentos,
Dos nossos risos,
De nossas conversas,
Do seu jeito de me olhar,
Da sua esperteza
Para me conquistar,
Seduzindo-me
E tuas vontades realizar.

Bateu no peito uma dor
Vontade de te ver,
De falar com você,
De ficar te olhando;
Escutar o barulho
Do teu andar,
Ouvir tua voz,
Ter ver deitado
E ficar te admirando
Bem calado
Dar-te um beijo no rosto
E dizer que te amo.
Você foi uma realidade
Agora é um sonho,
É uma eterna saudade. 


quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Frase IV



          A tua partida não tem como me deixar feliz, mas, a vida intensa e feliz que viveu não me dá o direito de permanecer triste. 

Ataíde Lemos 

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Superação



                                         Superação
     Ataíde Lemos
Escritor e poeta

     Nós vivemos em constantes superações: superações de deficiências físicas; superações de traumas de rejeição; superações de doenças incuráveis; superações de relações conjugais; superações de perdas de entes amados. Ai surge à pergunta: como conseguir vencer tantos traumas emocionais?
 

     Não é fácil, superar as diversas situações negativas. Estas superações  estão relacionadas as nossas subjetividades. Está relacionado à maneira que cada um tem de encarar a vida. Está relacionada às características de nossa personalidade. As circunstancias e contextos pelos quais estamos vivendo.
 

     Porém, é possível superar quando, independente o que estejamos vivendo, não deixamos de acreditar em nós e na vida. Quando olhamos para nosso sofrimento e colocamos em mente que, por mais doloroso que seja, existe um amanhã. É possível, quando olhamos para traz e percebemos que não estamos sozinhos nesta dor e que, muitos que passaram por situações piores que a nossa, conseguiram supera-las. Superamos quando deixamos de pensar na nossa dor, passamos a olhar e ajudar amenizar o sofrimento do outro que vive a mesma situação ou, às vezes, ainda pior que a nossa
 

     Outros fatores também são fundamentais para atingirmos a superação como por exemplo;

     1.      Jamais deixar de acreditar em nós. Mesmo que possa parecer impossível, devemos manter sempre esta fé que podemos vencer nossas dores e nossos limites pré-estabelecidos por nós ou pela sociedade.

     2.      Confiar; acreditar é fundamental, porém, não basta, se não confiamos em nosso potencial de superação, pois, se assim não fizermos, jamais conseguiremos vencer as barreiras dos limites que impomos a nós em muitas situações.

      3.      Agir. Este é um ponto fundamental, toda mudança ocorre por uma ação, ou seja, precisamos encontrar os mecanismos que nos possibilite deixar de canalizar em nossas mentes pensamentos negativos.

     4.      Somos o que pensamos, ou seja, se pensamos que somos vitoriosos seremos e assim também ocorre no caso contrário, derrotados iremos ser. Enfim, é preciso direcionar nossos pensamentos para coisas positivas e aprender tirando aprendizados das coisas negativas, encontrando nelas benefícios.

     5.      A espiritualidade é como um depósito que vamos fazendo em nossa vida para os momentos difíceis. Ou seja, quanto mais nos abastecemos de espiritualidade, mais temos condições de superar as dores que iremos encontrar pela vida. Uma pessoa cheia de espiritualidade, consegue encontrar nela a força capaz de conforta-la, de restaura-la a cada vez que sofre um grande baque na vida. Lembrei-me do sonho do Faraó e a revelação de José do Egito. Temos que formar um silo de espiritualidade, para também termos deposito dela para os momentos que formos surpreendidos e assim, na espiritualidade encontrarmos a força para a superação.
 

     Em suma, diante de uma circunstância trágica da vida, temos dois caminhos a seguir; um deles é deixar-se ser envolvido por tal sofrimento e assim, entregar-se a ele, tornando-nos infelizes e fazendo todos os que estão a nossa volta infelizes também. O outro caminho é procurar se levantar deste sofrimento e aprender a conviver com tal realidade, mas, não permitindo ser destruídos por ele..
 

     Um grande exemplo que fica para nós foram nossos participantes e os medalhistas paraolímpicos de Londres, souberam fazer de uma realidade trágica, exemplos de superação e são nossos maiores orgulhos tanto esporte como para uma profunda reflexão sobre vencer os limites.

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Momentos de saudades

          

          Fostes embora, mas deixaste momentos que permanecerão na lembrança para sempre e em cada uma dela, a saudade fará doer. Ataíde Lemos 

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Nascemos para a eternidade


Nascemos para a eternidade

A vida jamais é interrompida
Quando chega a hora da partida;
Ao nascermos eternos nos tornamos
E eternamente unidos continuamos.

O corpo físico é uma matéria nos dado
O qual se pode sentir, olhar,  ser tocado...
Não se une ao que um dia não foi sentido
Mas, não se desliga do que se foi vivido.

A morte, não é o fim de uma ligação
E sim, inicio de nova forma de viver
Que através das almas mantém a união.

Quem nasce, nasce para a eternidade,
Portanto, a morte é apenas uma passagem,
Um jeito novo de continuar na unidade.

Ataíde Lemos 

domingo, 26 de agosto de 2012

Pais que perderam filhos



Pais que perderam filhos


A vida nos reserva muitas alegrias
E uma delas é o dom de poder  gerar
O filho um  presente de muita euforia
Que nos ensina o que é de fato amar.

Neles depositamos todo nosso ser;
Os filhos preenchem nosso existir,
Ensina-nos ter tolerância e crescer
Suas dores em nós se fazem sentir.

De repente somos tragados pela dor
Ficando sem teto e também  sem chão
É  uma espada transpassada no coração.

Perder um filho não há como descrever
É viver sempre com coração na mão
Um vazio que não há como preencher. 

Ataíde Lemos 

sábado, 25 de agosto de 2012

Vivo-te sempre



Vivo-te sempre

(Ataíde Lemos)

Vivo-te sempre:
Nos sonhos,
Nas pessoas,
Nos retratos,
Nos vídeos...

Vivo-te sempre:
Em teus brinquedos,
Nos barulhos,
No teu esporte,
Em teus gostos,
Em teus amigos...

Vivo-te sempre:
Em tuas musicas,
Na tua culinária,
Em teu quarto,
Enfim, vivo-te
Em tudo que
Me traz você

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Unidos pra sempre




Unidos pra sempre

Tua alegria, atenua a saudade
Que adentrou em minha vida
E desfaz a tristeza que invade
Pela ausência de tua partida.

No sorriso de um adolescente,
Num jeito ou olhar  irreverente
Neles posso nutrir de tua presença
Sentindo-te em minha existência.

Você mora  em meus pensamentos,
Presença mais constante que antes 
Estou aprendendo lidar o sentimento
Que já não me faz sofrer como dantes.

A morte possui algumas limitações
Mas, jamais desunem os corações,
Mesmo o olhar não te vendo presente
Nossas almas estão unidas pra sempre.

Ataíde Lemos 
Escritor e poeta

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Soneto da saudade


Soneto da saudade

(Ataíde Lemos)

Quando ouço a musica que você gostava
Dá um aperto na garganta, um nó apertar,
Vejo teu rosto, e tantas coisas que falava
Quando me dou conta, já estou a chorar.

Ficava alegre, quando feliz você estava
Sinto falta até de quando você me irritava
E depois, de pouco tempo, te via sorrindo
De quando deitava e fingia estar dormindo.

Hoje olho tuas coisas e me sinto sozinho
Faz-me falta da tua alegria, do teu carinho;
Bom que ainda posso te ver nos sonhos.

Carregarei por toda vida teu semblante
Tuas manhas, tuas brincadeiras, teu jeito
Em cada detalhe te verei todo instante.

Ataíde Lemos 
Escritor e poeta

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Filho



Filho 

(Ataíde Lemos)
 

Neste Dia dos Pais
Meu coração não entristeceu
Pois, você me trouxe paz
Encheu meu coração de alegria
Esteve presente a todo instante.
Mesmo não te vendo
E não te tocando
Senti-te bem pertinho de mim
Dando-me um abraço
Pois, o teu calor,
Aqueceu-me  no teu amor.
Não se está distante
De quem mora no coração
Quem vive em nossa mente
Está sempre presente. 

Passe o tempo



Passe o tempo

(Ataíde Lemos)

O tempo pode passar
O tempo pode seguir
Mas ele não vai levar
O que está guardado aqui.

Aqui mora uma vida
Que jamais vai morrer
Nem que abre ferida
Irá me fazer esquecer.

Toda história bonita
Que foi tua presença
Não fez da partida
Uma amarga sentença.

Porque posso sentir
Todo o teu calor
Fazendo do meu existir
Tua alegria, teu amor.
Ataíde Lemos

domingo, 5 de agosto de 2012

Dentro de mim

Dentro de mim






Olho o tempo


E o vejo passar lentamente


E nele uma saudade


Sempre presente.





Quem dera pudesse


O tempo retroceder?


E novamente de volta


Te trazer


Mudando assim a história!





Mas, não posso,


Então, o fazer


É conservar-te na memória


E sempre te sentir,


Tornando-te presente


Dentro de mim.




Ataíde Lemos

sábado, 28 de julho de 2012

Teu Espírito





Teu Espírito

Onde estou, você está presente
Minh’alma todo tempo te sente,
A distancia não pode separar
Porque nossas almas
Estão sempre se falar.

Quando saudade está a doer
Fazendo-me entristecer
Posso sentir você se aproximar
Sinto teu calor me aquecer
E você vindo me abraçar.

Então, meu coração se acalma,
Imensa paz na alma.
Devolvendo-me a alegria.
O teu Espírito presente 
Renova minhas energias.

Ataíde Lemos

domingo, 8 de julho de 2012

A saudade...


A saudade é uma dor solitária, sem formas para descreve-la. Uma dor indescritível. 

Ataíde Lemos

Agradeço sua existência 

Você foi à história que gosto de relembrar,
Os momentos mágicos que a vida me deu;
Foi raios com intenso brilho a me iluminar,
Fazendo-me feliz até que um dia anoiteceu.

Você foi minha alegria quando triste sentia,
Foi aquele que me fez sentir novamente criança;
Você foi o mais lindo presente que ganhei um dia
Mesmo sem tua presença renovas as esperanças.

Hoje aonde vou, levo-te comigo sempre presente
Ainda que às vezes, a lágrima me acompanha
Sendo intensa quando apertado o coração sente.

Ainda com a dor e o vazio que tua partida deixou
Agradeço, pelo que sua existência me proporcionou
Uma imensa felicidade, que jamais o tempo apagará.

Ataíde Lemos

Um dia


Um dia

Um dia vou ver você sorrindo
E um forte abraço trocarmos,
Ficaremos longo tempo nos olhar
As lágrimas, vão conter as palavras

O tempo então se desfará
E toda a esperar terminará
Será um encontro infinito.

Será uma felicidade sem fim
Difícil de descrever
Mas, que as nossas emoções
Nossos olhos irão dizer.

Ataíde Lemos

Reencontraremos



Reencontraremos

Te encontrarei nas estrelas;
Te encontrarei em algum lugar
E vamos matar a saudade
De uma espera que vai se acabar.

Nesta estrada sigo a caminhada,
Um tempo a mais que você, vou andar
Mas, vou colhendo perfumes na estrada
Pra quando a gente reencontrar.

Então vamos viver novamente
Tudo que ficou para trás
Num mundo bem diferente
Onde somente reina a paz.

Ataíde Lemos

segunda-feira, 2 de julho de 2012






Matheus 1 ano de falecimento 
† 02/07/012

Hoje faz um ano que você se foi
Deixou este mundo físico
Para entrar no mundo espiritual.
Depois de muitas alegrias vividas
De nos proporcionar muitas felicidades,
Deixou sua presença em nossos sentimentos
O qual vive permanente em nossos pensamentos.
Deixou de nos pertencer para ser de todos
Saiu de uma família para abraçar uma outra enorme.
Teu novo lar é de paz, de amor
Somente morre uma única vez
Fez a travessia de um mundo de dor
Um mundo de sofrimento
Para um onde o amor é a plenitude da vida.
Embora, neste dia a saudade é intensa
A certeza que estás melhor que aqui é imensa
Que esta falta da presença física compensa.
O calor do seu amor nos aquece
Em meio a saudade, torna-se balsamo que nos fortalece.

Ataíde Lemos

sexta-feira, 29 de junho de 2012

1º Ano sem o Matheus



1º Ano sem o Matheus

Dia 02 de Julho de 2012, fará 1 ano que meu filho se foi, um garoto cheio de vida, de planos, de sonhos... Uma morte sem sentido, sem culpados, vitima de um atropelamento enquanto retornava para o trabalho de bicicleta, num local de baixa velocidade. Um garoto de 16 anos, quase 1, 80 de altura, de repente cai embaixo de um caminhão que tira sua vida no local. Mas, fazer o que? A morte é nossa companheira, cedo ou tarde se depara com ela, isto é inevitável. Uns vão mesmo antes de nascerem, outros vivem pouco tempo outros se vão com idade avançada. Uns vão por doenças, outros acidentes, outros ainda, pela violência e por fim, os que vão pelo peso da idade.

Durante todos estes 365 dias, após sua partida, tenho me dedicado a escrever, escrever, escrever. Escrever minha dor, a minha saudade, a minha esperança, nossos momentos juntos. Escrever seus gostos, seu jeito de ser. Escrever o que meu coração pede. Às vezes, palavras de coragem, de animo, outras palavras de dor. Escrever para me desabafar; escrever para ajudar outros pais que passam pela mesma dor.

É difícil descrever a dor de perder um filho, não há outra dor comparada. Mesmo para os que têm fé e acreditam que a morte não é o fim. Mesmo para aqueles que acreditam que a morte é apenas o inicio de uma nova vida, onde não há dor, nem sofrimento. Mesmo para aqueles que acreditam que após a morte há uma vida plena, eterna, ainda assim, é difícil aceitar a separação física, pois, sabemos, que a presença no pensamento, nos sentimentos permanecerá para sempre. Acredito, que os filhos que se vão são mais presentes que os que permanecem vivos.

Descrever o Matheus é muito difícil e fácil ao mesmo tempo, pois, durante todo o tempo que esteve conosco foi um menino alegre. Um menino como tantos; brincalhão, arteiro, amigo. Um menino que certamente, teria um tempo pequeno entre nós, pois sua vida foi intensa desde seu nascimento.

Matheus onde se encontrava vivia rodeado de amigos. Seus brinquedos preferidos eram futebol, soltar pipa e jogar vídeo game. Protegia as crianças menores dos maiores... quem estava perto dele não tinha tristeza. Adorava ir a escola, mas não gostava de estudar... todos os professores gostavam dele. Sempre o chamava atenção pelas notas fracas e brincar muito na escola, porém, hoje, fico feliz por ele ter sido assim, pois não completaria os estudos, no entanto, viveu intensamente.

Só tenho agradecer a Deus, ainda que seja difícil conviver com a partida do Matheus, pois ele viveu, ele foi feliz. Viveu a melhor fase da vida terrena que é o mundo da fantasia; o mundo dos sonhos, onde não tem sofrimento e nem o peso da responsabilidade que fazem parte da vida enquanto estamos aqui. Ele não teve nenhum tipo de doença que o impossibilitasse de ser feliz, que o pudesse fazer sofrer. Deu preocupações normais para nós pais, mas nunca se envolveu com brigas, drogas e tantas outras situações que nos dias de hoje tem tirado a alegria e o sono dos pais. Ou seja, ele desfrutou e nos proporcionou o mais saboroso prazer da vida. 

Enfim, Deus é o Senhor da história, Ele conhece nossos caminhos, conhece nosso passado, presente e futuro. Sabe quando chegará o fim de nossa caminhada neste mundo. Sabe pelos caminhos que atravessaremos. A vida aqui não é fim de uma história, mas o inicio dela e ainda, não estamos sozinhos nem no momento de alegria e muito menos nos instantes de dor. Por isto, ao chegar neste primeiro 1º ano sem a presença física do Matheus, percebo o quanto Deus esteve ao meu lado, ao nosso lado. O quanto Ele foi presente nos momentos tristes, nos momentos em que a cruz parecia ser pesada demais para suportar. Chego neste primeiro aniversario de sua morte com a dor da saudade, mas também, muito mais forte e restaurado do que os dias, os meses recentes a sua partida.

Este é um breve relato que faço nestes dias que antecedem a data de seu aniversário de falecimento ou melhor, seu 1º aniversário de vida plena.

Ataíde Lemos
Escritor e poeta

quinta-feira, 28 de junho de 2012




A paz de Deus 

(Ataíde Lemos)
 
Jamais imaginei que suportaria
Em perder um filho algum dia;
Nunca pensei na possibilidade
De sentir tamanha brutalidade.
 
Mas, o ditado e a fé dizem que Deus 
Não dá um frio maior que cobertor!
Então, o seu amor anestesia a dor
Confortando todos os filhos Seu.
 
Mesmo com a dor de um filho perder
Ela já não mais tira o brilho de viver
Comigo a sua presença sempre está. 
 
A chaga aberta, um dia vai cicatrizar 
Ainda que a saudade sempre perdurará, 
Pois, Deus com a sua paz me cobrirá.
 
Matheus 
† 02/07/2011

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Sonho e realidade





Sonho e realidade
 (Ataíde Lemos)


Você foi um lindo sonho
Que toquei em minhas mãos
Uma presença tão marcante
Que selou em meu coração.

Já não sei se dói esta saudade
Pela falta que você faz
Fostes um sonho e uma realidade
Mesmo ausente me provoca paz.

Em tudo tem um pouco de você
Sendo permanente tua presença
Se viver reserva tristes surpresas
Porém, retêm marcantes convivências.


http://www.facebook.com/Ataidelemos

quinta-feira, 14 de junho de 2012

Estou perto de você



Estou perto de você

(Ataíde Lemos)

Estou perto de você
Sei o que tens passado
Mas, já te vejo bem melhor;
A  saudade como antes
Já não dói,
A lembrança não te corrói,
Vejo sorrisos em teu rosto
Já não estás tão triste
Como tantas vezes eu te vi.
Tens tocado a vida
E esta imensa ferida
Aos poucos está cicatrizando
Estou muito perto de cuidando.

A dor de uma separação
Fere e sangra o coração
Mas, aos poucos vai se curando
E vida aos trilhos volta a andar.
Quando a gente ama
A morte não separa
Mas, ela une ainda mais
E  no seu tempo
Vai nos devolvendo a paz.

terça-feira, 12 de junho de 2012



Sempre será amado

(Ataíde Lemos)

Você sempre será amado,
Sempre será lembrado;
Em cada rosto,
Em cada sorriso;
Nas suas canções.
O tempo jamais irá te levar,
Tua presença será marcante
Em todos os instantes;
Nos momentos alegres
Ou mesmo naqueles tristes.
Você é uma essência
Que impregnou nosso Ser
É uma doce saudade
Que gostamos de ter;
Se tua presença física
Já não mais existe
Porém tua presença espiritual
É uma constante
Que perfuma
O nosso existir
Que ao tempo resiste.

Facebook

http://www.facebook.com/Ataidelemos

sábado, 2 de junho de 2012

Feliz aniversário meu anjo



Feliz aniversário  meu anjo

Hoje é um dia muito especial
Embora, tenha que comemorar
Com os olhos rasos de água.
No dia 2 de junho de 1995
Exatamente há 16 anos atrás
Um belo presente recebíamos
Era você que surgia em nossa vida
Tornando uma alegria completa.

O tempo passava e você crescia
Um menino alegre, brincalhão
Fazendo cada momento ser intenso
Aproveitando cada instante de vida
Como se fossem seus últimos dias.

Plantou sementes, colheu amizades
Fez da vida um imenso jardim
Perfumou teu existir e o de todos
Aqueles que mantiveram a sua volta
Mas, Deus lhe quis mais perto Dele
Para que continuasse sua missão
Não tornando um adulto,
Mas, sendo um eterno anjo;
Feliz aniversário meu anjo.

Ataíde Lemos 

Nosso Matheus



Nosso Matheus
Nosso Matheus; 
Tocar-te, te ouvir
Olhar nos olhos teus 
Teu corpo sentir
Ver teu sorriso
Com você brincar
Fazer carinhos
Te estressar
Te ver crescer
E tantas coisas
Não poderemos mais.
Mas vamos sempre te ter
Dentro de meu Ser
Esquecer-te jamais
Pois está em nós
Mora em nós
É um pedaço nosso
Que mesmo ausente
Fisicamente
Mantém-se presente.
Sei que vives 
Amando-nos como antes
Talvez ainda mais perto
Agora, não como filho
Mas como um anjo
Protegendo-nos,
Intercedendo a Deus
Que cuide dos seus
Até o dia que novamente
Nos encontraremos
E eternamente viveremos.

Ataíde Lemos


sexta-feira, 1 de junho de 2012

Perder um filho

       



          Perder um filho é um sentimento que não tem explicação. Há momentos que parece ser de dor e outros, é uma sensação de um vazio, de uma saudade que não tem fim. Sabemos que eles estão bem melhores que nós, pois, este mundo em que vivemos é perverso, muitas doenças, sofrimentos, preocupações, desumanidade, mas ainda assim, queríamos eles conosco. São muitas lembranças de muitos momentos. Eles são protagonistas de uma história que está intrínseca dentro de nós. Quantos perdemos um filho, ele se tona muito mais presente em nossa vida do que quando eles estavam vivos junto conosco. 

Ataíde Lemos
Escritor e poeta

quinta-feira, 31 de maio de 2012

A dor dos pais






(Ataíde Lemos)


Quando tenho noticias de mortes de adolescentes, ou jovens as primeiras pessoas a vir à mente são os pais. Porque neles sinto a minha dor e na minha dor sinto as deles. 

Além do arco-íris




Além do arco-íris 

Além do arco-íris
Há um mundo lindo, 
Maravilhoso, sem tristezas
Sem lágrimas, sem choros
Almas puras, felizes
Esperando os momentos
Dos reencontros.

Além do arco-íris
Está você
Me olhando, sorrindo
Imensamente feliz
E esperando o momento
Em que vamos reencontrar
Para matar a saudade
E nos abraçarmos
Desfazendo a distancia
Que o tempo
Fez acontecer.

Ataíde Lemos

sábado, 26 de maio de 2012

Estou Vivo


Ataíde Lemos 


Estou vivo
De todas maneiras
Que possas imaginar:
Estou vivo na eternidade;
Estou vivo no teu coração;
Estou vivo em teus pensamentos;
Estou vivo em teus sentimentos;
Estou vivo nos teus sonhos
Estou vivo em teu dormir
E em teu levantar;
Estou vivo em teus olhos internos;
Estou vivo no infinito;
Estou vivo em teus tatos;
Estou vivo em teus sabores;
Estou vivo na tua audição,
Enfim, estou vivo
Em todos teus momentos,
Não apenas como lembranças,
Por isto, sinta-te feliz
Porque mesmo tendo partindo
Permaneço vivo em teu existir.